Pais e Filhos

Já disse antes e insisto: esse pessoal de Santa Maria é criativo mesmo. A ideia inovadora da vez foi da professora Fátima Coelho que para encerrar suas atividades de ensino do xadrez no Colégio Santana nesse ano de 2018, convidou os pais para jogarem com os filhos um torneio. E não é que deu certo. Além dos tradicionais alunos aficionados, os pais compareceram e competiram lado a lado com as gerações mais novas.


JESMA 2018 - Categoria mirim


A competição de xadrez dos Jogos Escolares de Santa Maria 2018 iniciou-se nesse dia 13 de novembro (plena terça feira) na Biblioteca Pública Municipal Henrique Bastide, com a competição da categoria mirim, masculino e feminino que nos deixou a certeza que temos muito que melhorar.
Compareceram 6 meninas e 34 meninos, dos mais de 60 previamente inscritos. Precisamos melhorar. Temos que descobrir porque as escolas e os professores se inscrevem e não aparecem. Será o dia desfavorável. Seria o local inapropriado? Dificuldade de transporte? E o que precisamos fazer para estimular ainda mais a participação feminina?
Observando os jogos da gurizada se percebe nitidamente que ainda é preciso melhorar muito. Nessa categoria quem sabe aplicar mate de torre e rei contra rei leva uma desvantagem descomunal sobre os demais. Percebe-se que muitos professores e incentivadores do xadrez escolar também não dominam esses fundamentos. Ver uma criança com mais de uma dama no tabuleiro afogar o rei adversário é inquietante. Temos muito que melhorar. É claro a maioria dos nossos atletas nessa competição lá estavam pela primeira vez e além de não conhecerem as técnicas básicas do jogo, também desconhecem o sistema de competição. Pais atenciosos também alheios aos procedimentos padrões também ficam desconcertados e impotentes na hora de explicar porque seu pequeno não ganhou uma medalha. Temos muito que melhorar. Ainda bem que esses pequenos tem muito tempo pela frente para aprenderem, resta saber se terão persistência para isso.